Queremos o direito de registrar nossos filhos de volta!

Casais homoafetivos agora precisam entrar na justiça pra registrar seus bebês gerados por inseminação caseira (IC). Ou esperar 12 anos.

O sonho de ter uma família há tempos vem impulsionando a mudança nas leis para casais homoafetivos, porque devemos ter os mesmos direitos dos heteros.

Eu e minha esposa estamos juntas há 8 anos, somos da classe mais baixa, e hoje ela está grávida graças a uma inseminação caseira (IC).

Antes de agosto de 2019, tínhamos o direito ao registro com duas mães direto no cartório. Após essa data, apenas casais que fizeram o método nas clínicas têm o direito.

Agora teremos que lutar na justiça para conseguir, porque a inseminação caseira não é reconhecida. Assim como nós, existem muitos outros casais realizando seus sonhos por IC. Casais que estão botando a cara por um sonho!

Queremos o nosso direito reconhecido. Queremos poder registrar nossos filhos sem burocracia ou constrangimentos!

Meu abaixo-assinado é por todas essas famílias de tentantes – que estão crescendo em grupos de redes sociais em todo o Brasil. Precisamos ser ouvidas!

0já assinaram
Meta: 10.000

Para Conselho Nacional de Justiça:

Em agosto de 2019, foi mudada a lei que dava direito a casais homoafetivos de registrar os filhos direto no cartório, deixando o direito apenas a quem tem condições de fazer o método em clínicas de reprodução.

No Brasil, cada dia mais, cresce o número de tentantes pelo método de inseminação caseira.

Precisamos desse direito ao registro sem burocracia e constrangimentos. Precisamos que reconheçam esse método. Precisamos que reconheçam também o nosso direito homoafetivo de constituir família!


0já assinaram
Meta: 10.000