Itália: LGBTfobia é crime, sim!

O Parlamento italiano está discutindo uma lei que pra proteger pessoas LGBT+ e mulheres contra a violência e a discriminação.

A violência e a discriminação contra pessoas LGBT+ e mulheres são intensas na Itália. 

De acordo com uma pesquisa da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia, 62% das pessoas LGBT+ na Itália evitam segurar a mão de quem amam na rua. 30% deixam de ir a determinados lugares por medo de ataques. 

Além disso, 23% já passaram por discriminação no trabalho, 32% viveram um caso de assédio no último ano e 8% sofreram agressão física no mínimo uma vez nos últimos 5 anos. 

E mesmo com esses índices, só 16% sentiram segurança pra denunciar o que passaram.

Depois de tantas tentativas de aprovar leis contra a discriminação, já passou da hora da Itália fazer sua parte na proteção de pessoas LGBT+ e mulheres. 

Não dá mais pra esperar. O Parlamento e o governo precisam agir pra garantir uma direito que deveria ser simples: viver e amar

Esta campanha é realizada em parceria com Agedo, Ali d'aquila, Arcigay, Arci, Cammini di Speranza, Differenza Lesbica Roma, Diversity, EDGE, Famiglie Arcobaleno, Gay Center, Giosef Italy, neg.zone, Polis Aperta, Progetto Giovani Cristiani LGBT, Ra.Ne, Rete Genitori Rainbow, Rete Studenti Medi, Salento Pride, 6000 Sardine, UAAR e UDU.

0já assinaram
Meta: 50.000

Para: Parlamento e Primeiro-ministro da Itália

Chegou a hora da Itália seguir o exemplo de outros países europeus. As pessoas da Itália esperam – e lutam – há muitos anos por uma lei eficaz que proteja, com recursos adequados e políticas concretas, quem sofreu discriminação e violência.

E agora, o Parlamento italiano está discutindo uma lei de proteção a pessoas LGBT+ e mulheres contra a violência e a discriminação. Queremos a aprovação imediata desta lei.


0já assinaram
Meta: 50.000